DAF prossegue firme no plano de Consolidação da Marca no Brasil

28/07/2016 às 12:38 - Atualizado em 22/09/2016 às 3:30

DAF prossegue firme no plano de Consolidação da Marca no Brasil

DAF prossegue firme no plano de consolidação da marca no Brasil e anuncia que chegará aos 5% da participação ainda este ano

Matéria da Revista Edição nº129, no ano de 2016

Em mais uma semana do cliente, evento realizado na fábrica de Ponta Grossa, a DAF comemorou seus primeiros mil caminhões vendidos e o sucesso do lançamento dos caminhões CF no Brasil. A estratégia de marketing reúne em uma semana cerca de 600 transportadores na sede da empresa, onde conhecem a história da empresa holandesa, do grupo controlador Paccar, a linha de montagem e têm oportunidade de realizar um teste drive nos veículos XF 105 e no CF.

“Do total de visitantes, 500 são formados por potenciais clientes e 100 já são nossos usuários”, diz Luiz Gambim, diretor Comercial da DAF Caminhões Brasil. Para ele, ao longo do ano, a empresa recebe mil visitantes, no cumprindo o desafio de implantar com sucesso a marca no Brasil.

“Os resultados têm sido surpreendentes com os mais de 5 milhões de quilômetros de testes completados pelos primeiros 21 cavalos produzidos no país”, relata. Para o dirigente, o mais importante é a percepção do mercado a respeito da qualidade do produto.

Num levantamento realizado pela engenharia da empresa, os clientes relataram como qualidades preponderantes a economia de combustível e a resistência do chassi. “O caminhão não quebra – sempre ouve Ricardo Coelho, gerente de Desenvolvimento da DAF -, isso é uma garantia de disponibilidade do veículo, o que, afinal, é o que quer o transportador.”

Quanto à economia de combustível, Coelho explica que a calibração ficou excelente e o consumo totalmente competitivo com o do cavalo-mecânico referência do mercado até então. “Melhor ainda que o baixo consumo do XF ocorre em uma larga faixa de rotações e não apenas numa situação determinada como a do concorrente”, ressalva.

Confiança

O sucesso nas vendas Gambim credita também à excelência da rede de concessionárias, que já soma 21 casas mais 2 pontos de apoio – e fechará o ano com 25 revendas e 5 unidades remotas. 

O portfólio da empresa no país deve aumentar em meados do ano que vem com versões 6×4 desenvolvidas para serviços mistos como o transporte de cana-de-açúcar e madeira – provavelmente serão apresentados na Fenatran 2017.

“Somos a única montadora a crescer, apesar da crise”, diz Gambim, ele calcula que a empresa já detém 3% de participação de mercado e deverá fechar o ano com 5%. Números bem aquém dos mantidos pela Paccar, que tem 49% do mercado mexicano (Kenworth), 25% do norteamericano (Kenworth e Peterbilt) e 13,6% na Europa (DAF), mas ótimos pelas circunstâncias. Esses números são fruto da solidez da empresa, que faz financiamento direto para 30% dos clientes.

No Brasil a produção cresce lenta e progressivamente. Hoje são produzidos três cavalos/dia, montagem que deverá alcançar cinco unidades/dia até o final do ano. A capacidade total é de 10 mil unidades/ano. Os DAF CF já representam 30% do faturamento, composto em 80% por compras de empresas e 20% de autônomos.

Michael Kuester, presidente da DAF Caminhões Brasil, não hesita em dizer que o mercado está aprendendo a conhecer um caminhão realmente premmium, com vida útil estimada de 1,6 milhão de quilômetros na Europa e 1 milhão de quilômetros no Brasil. O melhor de tudo para ele é que o projeto brasileiro só tem custos de amortização, pois o endividamento da empresa é zero. ν