Goodyear inicia processo de Etiquetagem

26/07/2016 às 11:20 - Atualizado em 26/07/2016 às 11:20

Goodyear inicia processo de Etiquetagem

Goodyear inicia processo de etiquetagem, que facilitará a compra certa, e apresenta o sistema Control Max para controle e monitoramento dos pneus

Pouco a pouco as soluções aplicadas na Europa chegam mais rápido no Brasil, possibilitando progressos inegáveis em vários segmentos. Uma dessas soluções, que passará a ser mandatória em 2016 no Brasil – é a etiquetagem de pneus, a partir da qual o consumidor passará a ter nível inédito de informações na hora da compra do produto.

Legalmente, a Portaria 544/12 do Inmetro determinou que a partir de outubro do ano que vem todos os pneus à venda no Brasil e aqui fabricados sejam etiquetados para esclarecer seus consumidores. O PBE – Programa Brasileiro de Etiquetagem, padroniza a apresentação dos pneus com uma planilha como a vista em lojas de departamento na compra de refrigeradores ou eletrodomésticos, garantindo ao cliente todas as informações fundamentais para uma boa compra, no caso o consumo de energia versus uma escala de eficiência variável de A a G.

Nos pneus, evidentemente, as prioridades são outras. São três os critérios para mensuração da eficiência de um pneumático: a resistência ao rolamento, que interfere diretamente no consumo de combustível, faz as vezes da eficiência energética.

No âmbito da segurança o parâmetro mestre para o pneu é o nível de aderência em pisos molhados, item prioritário para garantir a melhor frenagem possível e a dirigibilidade do veículo. O último item tem tudo a ver com o meio ambiente e o conforto dos ocupantes: o índice de emissão de ruídos.

Em detalhes, o primeiro item, de resistência ao rolamento possibilita o menor consumo de combustível, pois quanto menor o consumo, menor é o impacto ao meio ambiente (consumo de combustível fóssil, o diesel) e também de borracha (outro derivado do petróleo em sua maior parte).

Com menor resistência ao rolamento, a emissão de CO2 (gás carbônico) é reduzida auxiliando na boa qualidade do ar.

Por sua vez, a aderência a pisos molhados é item de primeira importância na segurança operacional, influenciando tanto na dirigibilidade, nas tomadas de curva e na estabilidade em geral.

Hoje, os maiores esforços da indústria pneumática estão na confecção de pneus que apresentem baixa resistência ao rolamento, alta aderência no molhado e um nível de ruído (em decibéis) bastante confortável.

Nas contas da Goodyear, todavia, o elenco cresceu dos três itens exibidos pela etiqueta para uma planilha com o sistema 3.10.50. Ou seja, além das três informações originais da etiqueta, a empresa acrescenta dez critérios preferenciais do consumidor e 50 critérios de desempenho da companhia.

Os pneus etiquetados começaram a ser implementados e têm que mostrar graduação mínima, coisa que não é exigência na Europa. Entre os itens estão a deformação do pneu em trabalho.

Com investimentos que somaram mais de US$ 240 milhões desde 2012, as novas levas de pneus para veículos comerciais da Goodyear estão sendo etiquetados com informações para os empresários de transporte quanto ao custo por quilômetro, resistência ao rolamento, quilometragem na primeira vida e total, índice de recapabilidade, igualmente quanto à resistência da carcaça, assistência à frota em todo o país, ferramentas de gestão, frenagem em solo molhado, impermeabilidade e assentamento na roda, entre outras.

Para o desenvolvimento dos pneus entram em pauta nada menos que 50 itens diferentes, levando em conta todos os requisitos desejáveis, chegando a minúcias como a distribuição de peso, a condutividade, impermeabilidade e até a do assentamento na roda.

No fim desse processo ganham todos. O fabricante, que fideliza seus clientes, mas principalmente o usuário, por ter à disposição produtos cada vez mais adequados a usos específicos.

Controle Total

Enquanto a etiquetagem permite aos transportadores a compra “mais perfeita possível”, graças à quantidade de informações, uma outra demanda do mercado foi atendida pela empresa paralelamente. Em pesquisa feita junto a cliente e a rede – são mil pontos de venda em todo o país -, 35% desejavam uma ferramenta de controle confiável e 38% das empresas queriam um sistema RFID – identificação individual de cada pneu por radiofrequência.

A resposta da Goodyear à demanda foi o lançamento do Control Max, sistema que permite o monitoramento, gerenciamento e controle completo de toda a vida útil dos pneus da frota. A ferramenta permite o acesso a toda história de vida do pneu, sua migração de posição, quilometragem, calibragem, histórico de reparos etc.

Para Fabio Garcia, gerente de Marketing para Pneus Comerciais da Goodyear, o sistema permite o gerenciamento completo de todos os processo: “O Control Max possibilita maior controle do patrimônio e dos custos operacionais, um dos maiores da planilha.”

Com a ferramenta, o transportador pode conter o número de fraudes, que causam grandes prejuízos aos frotistas, e também elevar a vida útil dos pneus, de acordo com a precisão da mensuração exata de itens como a calibragem do pneu, a profundidade do sulco e seu posicionamento.