Melhor e mais barato

30/05/2017 às 5:08 - Atualizado em 08/06/2017 às 4:55

Novos BigTrucks da Hyster estão 6 toneladas mais leves, o consumo caiu 10% e o custo baixou até 30%, elevando substancialmente a rentabilidade

Responsáveis por boa parte da melhoria da produtividade na movimentação de contêineres nos portos, os Big Trucks têm nova versão para comemorar os 60 anos da Hyster no Brasil. Produzidos na renovada fábrica de Itú, SP, que triplicou a capacidade de produção e possibilitou o lançamento de três novos modelos, essas máquinas oferecem capacidades de 10 até 45 toneladas.

“A grande novidade é que a nova versão do Big Truck está mais enxuta e ficou 6 toneladas mais leve”, explica Cesar Guerreiro, diretor de Vendas de Big Trucks do grupo Hyster-Yale. Além disso, o novo motor Cummins QSL9 proporciona economia de 10% no consumo de diesel e redução de 10 a 12% no tara do veículo, itens que somados levam a uma considerável queda nos custos operacionais.

O alívio de peso foi possível com a retirada de itens pouco usados nos serviços portuários, mas adequados sim para aplicações específicas. Assim, atendendo à demanda do mercado, a Hyster lança a nova RS45, uma ReachStacker que, assegura Guerreiro, tem o menor CTO do mercado.

Além de toda a modernidade mecânica, o novo BigTruck já vem carregado de tecnologia como telemetria e monitoramento total. Um aparato que permite pesar o contêiner no momento do içamento, uma informação fundamental ao carregamento e armazenamento do cofre.

Num mercado que varia entre 200 a 220 máquinas por ano a eficiência vem em primeiro lugar. Por isso, o propulsor Cummins QSL9 Tier 3, de 250 kW (399 cv) combinado à transmissão Spicer TE-27 permite o máximo rendimento energético da máquina.

Para Guerreiro, a esperança se renova nestes novos tempos de juros em baixa, acompanhando a inflação: “Muitos investimentos estão represados e há indícios de retomada das compras”, diz ele.

Neste mercado de maquinas de grande porte, o executivo espera que a renovação da frota e a modernização dos portos possibilite um crescimento razoável ao final deste ano. Com os novos BigTrucks, mais baratos e recheados de tecnologia de ponta, muito mais eficientes e acessíveis – são entre 20 e 30% mais baratos -, essas máquinas proporcionam rentabilidade e produtividade mais elevadas.

A esperança é nutrida porque o Brasil apresenta um mercado estável há 6 meses e toda essa tecnologia deve, segundo Guerreiro, ampliar de 40%    para 70% a participação da empresa nessa categoria. “A movimentação de materiais no setor de logística deve nos levar a um crescimento de 20% nas    vendas e nos preparamos para isso com os investimentos feitos na fábrica.”

Para facilitar as coisas para o comprador, assegura Guerreiro, a Hyster ainda oferece os melhores juros do mercado, de 1,12% ao mês. “Investimos agora também num novo conceito de vendas, a venda consultiva, que prima pela otimização das operações e da rentabilidade do cliente.”