Novos utilitários

08/06/2017 às 5:01 - Atualizado em 08/06/2017 às 5:01

PSA começará a comercializar os novos comerciais Jumpy e Expert no segundo semestre e quer dobrar as vendas de comerciais em cinco anos

Novos tempos começam para a PSA no Brasil, especialmente para o seu segmento de comerciais leves, reunindo os furgões, vans e chassis cabina das duas montadoras do grupo, Citröen Jumpy e Pegeout Expert, que terão seus utilitários montados na Argentina a partir de 2019 – até lá antes utilizavam plataforma das Ducato, da Fiat, produzidas em Sete Lagoas, MG.

A decisão da montadora italiana de deslocar a montagem das Ducato para a fábrica do México, precipitou a reação da diretoria do grupo PSA, que preferiu não só adotar plataforma própria em novos produtos, mas também um papel de protagonismo, tornando-se mais agressiva. O primeiro sinal da troca de postura foi a aquisição da também europeia Opel este ano.

Mas os planos são muito maiores, com a nova fase da planta de Palomar na Argentina, abrem-se novas possibilidades a partir de 2021e a partir de agora os utilitários leves já estão em montagem no Uruguai. “Vamos dobrar a produção de veículos utilitários até 2021”, promete Frédéric Chapuis, vice-presidente de Veículos Utilitários e da recém-criada área de Veículos Comerciais da PSA.

Para ele, a nova postura da empresa no continente e os novos produtos possibilitarão saltar dos 30 mil veículos vendidos em 2016 para 60 mil em 2021, já com a modernização e produção da planta industrial argentina da empresa de Palomar a todo vapor.

A intenção é fazer jus à fama e às vendas dos utilitários do grupo na Europa onde é líder na categoria, com uma participação de 18,9% em todo o continente e com uma fatia de 31,2% na França.

Até lá, o grupo PSA fechou uma parceria com a Easa e Nordex para montagem de VUL – Veículos Utilitários Leves, a partir do segundo semestre na planta industrial da Nordex, em Montevidéu, Uruguai, que oferece uma capacidade de produção de 6 mil veículos por ano e já detém grande experiência na terceirização de montagem de grandes montadoras como a Kia e Renault Trucks – entre os anos de 2004 e 2015 foram lá montados mais de 8 mil caminhões da montadora francesa.

A linha da Nordex em Montevidéu, que já produz as primeiras unidades em fase de testes de produção e treinamento do pessoal, terá como função produzir os utilitários PSA furgão e van que abastecerão os mercados brasileiro e argentino, e a concorrer diretamente com os Mercedes-Benz Vito.

Quanto aos furgões e vans grandes, das linhas Boxer e Jumper, não há ainda uma decisão definitiva. O grupo acredita que os estoques devem durar aproximadamente um ano e, até lá, adotará a alternativa mais interessante. Poderá usar a mesma plataforma que tem usado (Ducato) produzida no Mexico ou Itália, ou ainda outra opção.

Modernização

Paralelamente, e com investimentos de vulto, o grupo já iniciou a transformação de sua planta industrial da Argentina, conhecida como Centro de Produção de Palomar, a linha de montagem argentina do grupo está sendo transformada e modernizada e poderá produzir novos comerciais leves do grupo.

A ambição, evidentemente, é assumir um papel de muito maior destaque, de protagonismo, no mercado sulamericano. “A mudança faz parte do plano de crescimento ´Push to Pass´da companhia, que busca se transformar numa grande fornecedora de comerciais leves no próximo quinquênio”, sublinha Carlos Gomes, presidente Brasil e América Latina do grupo.

O plano da PSA é se transformar até 2021 numa fabricante bem mais poderosa, tanto por parte de suas duas montadoras, Citröen e Pegeout, com também com a recém adquirida Opel. Neste período, o grupo promete lançar 26 automóveis, 8 utilitários e 2 plataformas de energia.

Tudo isso será possível graças a um sistema de gestão que garante ao grupo uma das maiores margens de lucro do segmento automobilístico, que alcança 6%. Os objetivos do programa ´Push to Pass´ são audaciosos: realizar um grande programa de lançamentos de veículos, dobrar os volumes de vendas fora do Mercosul e multiplicar o volume de lucro por três. No ano passado o faturamento alcançou € 54 bilhões, cerca de R$ 205 bilhões.

A comemoração da transformação do Centro de Produção de Palomar em uma referência para o grupo contou até com a presença do presidente argentino Mauricio Macri e do presidente Mundial do Grupo PSA, Carlos Tavares, além dos presidentes das subsidiárias brasileira e argentina, esta comandada por Luis Ureta Saenz Peña.

O fluxo multissilhuetas com sistema logístico full kitting já está operacional e, em 2019, a nova plataforma CMP – Common Modular Platform, será implantada na fábrica. A ideia é também integrar os fornecedores da montadora através de um centro de produção ao estilo condomínio, com o objetivo de reduzir os custos logísticos, otimizar a cadeia de valor e promover a máxima eficiência na utilização dos materiais.

O Grupo PSA também almeja uma redução de 50% do consumo de energia e de água por veículo graças a essa modernização da planta. “Esta transformação, parte do plano `Push to Pass´, visa a consolidar nosso crescimento rentável na América Latina e fazer da planta de Palomar uma referência mundial”.

 

 

 

Tags: